SusIndia

VOLUNTARIADO NA ÍNDIA: A MINHA EXPERIÊNCIA

Os primeiros passos para ajudar os mais necessitados... em primeiro lugar, você mesmo, fazendo voluntariado.

Mesmo antes de me mudar para a Índia, senti a necessidade de fazer algo que me fizesse sentir útil como ser humanoAjudar-me-ia a sair deste impasse em que dizemos sempre a nós próprios "gostava de fazer alguma coisa", mas acabamos por nunca fazer nada. Para ser sincera, não percebo nada de voluntariado, nunca o fiz e nem sequer sei por onde começar. A única coisa que ela conseguiu fazer foi levar as compras a convento das freiras de Santa Patrizia em Nápoles onde também há uma cantina e onde cuidam das crianças menos favorecidas, dos sem-abrigo, etc., mas onde, na verdade, passei cerca de meia hora a entregar as compras. Foi o suficiente para me sentir "um pouco melhor", porque não há nada que importe...Ajudar quem realmente precisa é a melhor forma de ter uma vida saudável e de verdadeira felicidade.

Archana e euAssim, podem imaginar, estando na Índia, o quanto dessa felicidade real e incondicional eu poderia ter saboreado, se pensarmos em termos proporcionais: ou quanto maior for o bem que se oferece, maior será a felicidade que se obtém com ele . Bem, ainda não descobri a água quente, como se diz em Nápoles... toda a gente sabe que quanto mais se come, mais fome se tem, quanto mais se dorme, mais sono se tem e por aí fora.... no entanto.... no entanto, depois de mais de um ano aqui na Índia, não fiz nada! O que é que aconteceu às minhas boas intenções? E mesmo que não o quisesse fazer pelos outros, onde estava a minha sede de "felicidade saudável e incondicional"? Perdida entre o trabalho, as saídas à noite com os amigos, algumas viagens a Itália, alguns fins-de-semana passados com a Delly Belly (a nossa dor de barriga local).

Depois, um dia, conhecemos alguém que nos reacende essa luz e nos faz lembrar que, na verdade, era outra coisa que queríamos fazer na Índia! Para mim, essa pessoa foi Arcanjouma mulher magnífica, mas acima de tudo um ser humano digno desse nome. Archana dedica incansavelmente a sua vida às crianças. Dia após dia, explora mil e uma formas de atingir o seu objetivo, que é garantir o direito à educação a todas as crianças que dela foram privadas. O método de Archana consiste em "tornar a educação divertida, recorrendo à aprendizagem interactiva e a técnicas como a dança, a música, a observação, as artes e ofícios, os jogos, os ateliers, etc., para garantir que todas as crianças que se juntam a nós aguardam ansiosamente a próxima sessão".

SusInde | Blogue | Voluntariado na Índia

Assim, na primeira oportunidade, decidi envolver-me.... A campanha "Back a future with a bag" estava em curso, com a qual Archana pretendia comprar pelo menos 55 mochilas com material escolar para as crianças do bairro de lata. Por isso, tentei ajudar a angariar o dinheiro... Nunca o tinha feito antes - ou seja, pedir dinheiro para o que me parecia ser uma boa causa - e, em vez de 55 mochilas, conseguimos produzir quase 200!

Após anos de trabalho com as crianças de Bapu Dham, Archana está a passar as rédeas aos seus "sucessores", nomeadamente Shrey, Devika e Lalit que, graças aos bons conselhos da fundadora, estão agora em condições de levar a cabo o seu projeto de voluntariado por conta própria.

Archana criou então uma nova ONGGavaKsh - uma janela para a felicidadededicado a aumentar o potencial das crianças de famílias desfavorecidas através de iniciativas de literacia e aprendizagem.

SusInde | Blogue | Voluntariado na Índia O princípio por detrás de todo este trabalho é sempre um", afirma Archana:Quanto mais trabalho com crianças, mais me apaixono por elas. Sempre que começo uma sessão com estas crianças, cresço como ser humano e descubro novas facetas da vida e do viver." . Mas desta vez demos um passo em frente: a diferença é que não nos limitámos a criar a milionésima ONG (que na Índia são verdadeiramente infinitas e, por vezes, apenas um nome permanece numa lista), mas a construção de uma verdadeira sala de aula nova onde dar aulas, um local protegido das chuvas das monções ou do frio dos meses de inverno e já não ao ar livre, sempre sujeito às intempéries.

Aqui estamos nós com um novo projeto, do qual me sinto grato por fazer parte todos os dias, e no qual a ajuda de qualquer pessoa sob a forma de donativos é sempre bem-vindatanto pela possibilidade de realizar sessões e/ou workshops com crianças, onde gostaria de fazer voluntariado em Deli.

Para mais informações, escreva-me ou contacte diretamente Archana S. Nasa através de todas as redes sociais:

Página do Facebook do gavaKsh

Archana S. Página do Facebook Nasa

Página de Instagram de Gavaksh

Blogue do gavaKsh

Deslocar para o topo